jusbrasil.com.br
26 de Outubro de 2020

Entenda porquê a campanha da Natura com o Thammy é um problema

Gabriela Messetti, Advogado
Publicado por Gabriela Messetti
há 3 meses

A internet foi a loucura hoje por conta de uma campanha do dia dos pais que tem como garoto propaganda ninguém menos do que o Thammy.

Entre apoios e boicotes a postura da empresa Natura, decidi explicar aqui por qual motivo eu acredito que essa campanha é um problema.

A campanha é completamente problemática simplesmente por mostrar um pai cuidando do seu filho.

Trabalhar com o direito de família revela o quanto é difícil contar com um pai presente, capaz de pagar a pensão em dia e em um valor que realmente auxilie o filho.

Nos traz a dificuldade de manter o genitor por perto, com um interesse real na vida do filho.

Incontáveis genitores que só participaram no ato de fazer o filho (claro!) e abandonaram em seguida, dizendo ainda que a culpa é da mulher que não se protegeu.

E tem também o genitor que paga R$ 150 por mês e diz que a mãe é interesseira, que quer levar vantagem.

Uma grande advogada que eu me inspiro diz que genitor faz o filho, pai é quem cria.

E é aí que mora o problema, a Natura mostra nessa campanha o pai que cria, que cuida, que é presente e ama seu filho, trazendo um problemão para os "pais de selfie", que aparecem de vez em quando, postam uma foto pra dizer que são os pais do ano mas não sabem nem a escola que o filho estuda.

A participação do Thammy é um problema. Um problema para os pais que na verdade são apenas os genitores, que sequer convivem com os filhos mas que possuem uma "imagem" a zelar.

Esses aí são os que boicotam uma campanha tão bacana como essa, por não saber lidar com um trans sendo pai, já que eles, "homens de verdade" não o são.

Parabéns Natura, por se colocar de forma tão natural e bonita nessa luta diária de pessoas trans. Acertaram em cheio.

#OProblemaÉOSeuPreconceito



Se conecte comigo no Instagram: @gabrielamessetti

112 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Excelente percepção!
Eu estou bem impressionada com o incômodo desnecessário que essa campanha tem causado.
Só mostra que infelizmente, o preconceito ainda está bem vivo em nossa sociedade. Uma pena. continuar lendo

Verdade Thaís. Muita gente se incomodou com a campanha, mostrando que temos muito trabalho pela frente. continuar lendo

Creio que nem todo incômodo é preconceito, sob pena de generalização. O mero fato de uma pessoa discordar da ideologia de gênero não significa que ela é preconceituosa. Pois, de outro modo, não seria isso uma restrição da própria liberdade de pensamento ou, pior, a imposição de um pensamento? continuar lendo

Pois é, não é simplesmente pela pessoa não concordar com ideologia de gênero que ela é preconceituosa.
Todas as pessoas devem ser respeitadas inclusive em seus pensamentos e crenças, sob pena de ferir o direito de liberdade de expressão.
A grande questão é que isso não pode ser alvo de ofensas, boicotes, deboches e nada do tipo.
Isso vale para ambos os lados, tanto para os que defendem e apontam o dedo dizendo que são preconceituosos pelo simples fato de não concordarem como os que apontam o dedo pejorativamente e proferem ofensas.
O debate deve ser saudável e no final todos somos seres humanos, devemos tratar todos cordialmente independentemente de nossas crenças e convicções.
É o respeito e a urbanidade. continuar lendo

Concordo plenamente com o artigo e com a expressão ''genitor é quem faz, pai é quem cria'', doa a quem doer, é a mais pura verdade, inclusive, tem mães que são pais, avôs que são pais, tios que são pais, dentre outros. Pai é quem cumpre o PAPEL DE PAI. Mas, infelizmente, a revolta não é simplesmente por não ter o Thammy feito biologicamente o filho. É por ser LGBTQ+. continuar lendo

Exatamente! É quem cria! Quem é presente, quem dá amor. Ainda bem que existem muitos capazes de cuidar como se tivesse saído deles. continuar lendo

Crime organizado também é mais eficiente que o Estado em muitos aspectos mas não acredito que seja um bom exemplo a ser seguido. continuar lendo

Uma pena que você esteja comparando crime organizado com a situação de uma pessoa trans.
Revela o quanto ainda temos que falar sobre o assunto e aprender.

Exemplo bom mesmo são os pais que negligenciam os filhos, que não pagam pensão mas que postam a foto no domingo não é? continuar lendo

O que tem haver entre representatividade com crime organizado? vc está confuso? continuar lendo

Alusão perfeita. Exceção nunca será regra! continuar lendo

Segue quem quer, seu filho vai acordar Gay amanhã por causa deste anuncio??? Crime organizado é mais eficiente que o Estado? arisco dizer em quem vc votou pra presidente rsrrs continuar lendo

E você acredita que um casal trans, cuidando de uma criança e dando esperança de uma boa vida para ela, se compara ao crime organizado, caro Fernando? continuar lendo

Só esqueceu de dizer que o crime organizado é conduta tipificada, nociva ao ser humano e ao progresso de uma sociedade.
Enquanto, a liberdade da identificação de gênero e a concessão de direitos civis é obrigação do estado, para concepção de um sociedade humana próspera, sem preconceitos e sem violência.
Seu comentário tem caráter transfóbico no contexto que se apresentou, logo, LEMBRE-SE, É CRIME de racismo, segundo entendimento do STF e você está numa página sobre direito.
Cuidado, pessoas arcaicas e preconceituosas são dinossauros na sociedade atual, relíquias de uma época decadente.
Guarde seu preconceito para você!
Comentário infeliz. continuar lendo

O sr. deveria ser proibido de comentar. continuar lendo

parei de ler no "fernando lazarini" continuar lendo

Ótimo texto Dra., um tapa na cara de muitos hipócritas espalhados por ai. continuar lendo

Obrigada, Erasmo! É essa a intenção, rs. continuar lendo